segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Santo Agostinho


    O Bispo de Hipona foi o primeiro grande sintetizador da Doutrina Cristã, e o último dos Padres Latinos, aqueles que conceberam a Filosofia Cristã, também chamada Patrística. De singular inteligência, enquanto importante professor do Império Romano defendeu uma herética corrente de pensamento, o maniqueísmo, e, passando a grande admirador de Plotino, tornou-se, ainda antes de vir a ser cristão, neoplatônico.
    Desde jovem rejeitava veementemente os convites às práticas religiosas que lhe fazia sua mãe, Santa Mônica, mas em 387, aos 33 anos, foi a Milão conhecer a Sabedoria de Santo Ambrósio e rendeu-se em definitivo à Verdade, abraçando o Catolicismo. Deixou a vida que levava com uma concubina e vendeu todos os seus bens, retendo apenas sua casa em Hipona, na atual Argélia, que, inspirado pela vida de Santo Antão, transformou num monastério para si e para alguns amigos. Era o ano de 388 e ali nascia a Ordem de Santo Agostinho, também chamada de 'agostinianos'.
    Já era renomado professor de Gramática e Retórica, porém sentia que precisava começar tudo de novo: entregou-se à oração, à pobreza e ao serviço aos mais carentes. Tamanha era sua devoção que em 391 foi ordenado sacerdote de Hipona pelo próprio povo, e em 396, também pela vontade popular, foi apresentado como bispo coadjutor, ou bispo sucessor, da mesma cidade. Morreu em 430, aos 76 anos, quando os vândalos invadiram a África através de Gibraltar. Passou seus últimos dias sitiado, entre penitências, orações e recitações de Salmos.
    Deixou o 'Regulamento' para os sacerdotes de seu mosteiro, e por essa obra foi reconhecido como Padroeiro do Clero Regular. Foi canonizado também por aclamação popular e logo reconhecido como Doutor da Igreja.
    Bastante ativo, comia muito pouco, cuidava da igreja local, de questões de justiça entre o povo e dedicava muito especial atenção aos órfãos e pobres. Sua rotina diária inalteradamente incluía celebrar a Santa Missa, catequizar, fazer pregações, servir aos carentes e escrever. Deixou obras belíssimas como 'Confissões', na qual conta sua vida, e 'A Cidade de Deus', em que exalta a grande dádiva divina que é a Igreja.
    Deixou-nos ainda conceitos e explanações fundamentais para a compreensão do projeto de Deus, em obras como 'O Pecado Original', 'O Livre Arbítrio', 'O Problema do Mal', 'O Tempo como parte da Criação', 'A Fé como a restauração da Razão', 'O Resgate do Platonismo', 'A Ética' etc. É reconhecido também como Doutor da Graça, por sua enorme contribuição sobre esse assunto.
    Era natural de Tagaste, antiga cidade argelina. Foi professor em Cartago e em Roma, mas, mesmo entre as pessoas mais importantes e nos mais luxuosos ambientes, nunca encontrava satisfação para sua alma. Na Igreja viveu seus melhores, mais produtivos e mais felizes anos. Referindo-se a essa obra de Cristo, dizia: "Fora da Igreja não há Salvação."
    Escreveu em belíssimas linhas o que representou sua conversão: "Tarde Te amei... Trinta anos estive longe de Deus. Mas durante esse tempo algo se movia dentro do meu coração... Eu era inquieto, alguém que buscava a felicidade, buscava algo que não achava... Mas Tu compadeceste-Te de mim e tudo mudou porque Tu me deixaste conhecer-Te... Tu estavas dentro de mim e eu fora..."
    Sua inspiração era realmente ímpar:
    "Quem me dera descansar em Ti! Quem me dera que viesses a meu coração e que o embriagasses, para que eu esqueça minhas maldades e me abrace Contigo, meu único bem! Que és para mim? Tem misericórdia de mim, para que eu possa falar. E que sou eu para Ti, para que me ordenes amar-Te e, se não o fizer, irar-Te contra mim, ameaçando-me com terríveis castigos? Acaso é pequeno o castigo de não Te amar? Ai de mim! Dize-me por Tuas misericórdias, Meu Senhor e Meu Deus, que és para mim? Dize a minha alma: 'Eu sou a tua Salvação.' Que eu ouça e siga essa voz e Te alcance. Não queiras esconder-me Teu rosto. Morra eu para que possa vê-lo, para não morrer eternamente."
    "Estreita é a casa de minha alma para que venhas até ela: que seja por Ti dilatada. Está em ruínas; restaura-a. Há nela nódoas que ofendem o Teu olhar: confesso-o, pois eu o sei; porém, quem haverá de purificá-la? A quem clamarei senão a Ti? Livra-me, Senhor, dos pecados ocultos, e perdoa a Teu servo os alheios! Creio, e por isso falo. Tu o sabes, Senhor. Acaso não confessei diante de Ti meus delitos contra mim, ó Meu Deus? E não me perdoaste a impiedade de meu coração? Não quero contender em juízos Contigo, que és a Verdade, e não quero enganar-me a mim mesmo, para que não se engane a si mesma minha iniquidade. Não quero contender em juízos Contigo, por que, se dás atenção às iniquidades, Senhor, quem, Senhor, subsistirá?"
    "Que deseja a alma com mais veemência do que a Verdade?"
    "À Minha mesa convido-vos. Nela ninguém morre, nela está a Vida verdadeiramente feliz, nela o Alimento não se corrompe, mas refaz e não se acaba.
    Eis para onde vos convido: para a morada dos anjos, para a amizade do Pai e do Espírito Santo, para a Eterna Ceia, para a fraternidade Comigo; enfim, a Mim mesmo, à Minha Vida Eu vos conclamo! Não quereis crer que vos darei a Minha Vida? Retende, pois, como penhor a Minha Morte."
    "Foi o orgulho que transformou anjos em demônios, mas é a humildade que faz de homens anjos."
    "... conhece-se melhor a Deus na ignorância."
    "Aquele que nos criou sem a nossa ajuda, não nos salvará sem nosso consentimento."
    "Deus é mais íntimo a nós que nós mesmos."
    "Com o amor do próximo, o pobre é rico; sem o amor do próximo, o rico é pobre."
    "Nada estará perdido enquanto estivermos em busca."
    "Se tu crês somente naquilo que gostas no Evangelho, e rejeitas o que não gostas, não é no Evangelho que crês, mas sim em ti mesmo."
    "A fé e a razão caminham juntas, mas a fé vai mais longe."
    "Tão cegos são os homens, que chegam a vangloriar-se da própria cegueira!"
    "Há pessoas que desejam saber só por saber, e isso é curiosidade; outras, para alcançarem fama, e isso é vaidade; outras, para enriquecerem com a sua ciência, e isso é um torpe negócio; outras, para serem edificadas, e isso é prudência; outras, para edificarem os outros, e isso é caridade."
    "Aquele que tem caridade no coração, tem sempre alguma coisa para dar."
    "Não é de admirar que a soberba gere a separação, e a caridade, a unidade."
    "O coração delicado sofre menos das feridas que recebe do que das que faz."
    "pecado é amor a si mesmo até o desprezo de Deus."
    "O pecado é o motivo de tua tristeza. Deixa que a santidade seja o motivo de tua alegria."
    "O que Deus mais odeia depois do pecado é a tristeza, porque nos predispõe ao pecado."
    "O viver em plena felicidade não é próprio desta vida mortal. Só o será quando aparecer a imortalidade... Sem a imortalidade não existe felicidade."
    "Para alcançarmos esta vida feliz, a verdadeira Vida ensinou-nos a orar."
    "Teu desejo é a tua oração; se o desejo é contínuo, também a oração é contínua. Não foi em vão que disse o Apóstolo: 'Orai sem cessar (1 Ts 5,17)'. Ainda que faças qualquer coisa, se desejas aquele repouso do Eterno Sábado, não cesses de orar. E se não queres cessar de orar, não cesses de desejar."
    "Não há lugar para a Sabedoria onde não há paciência."
    "A Esperança tem duas lindas filhas, a indignação e a coragem; a indignação ensina-nos a não aceitar as coisas como estão; a coragem, a mudá-las."
    "Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem."
    "Com a corrupção morre o corpo, com a impiedade morre a alma."


    No século VIII, por força das invasões muçulmanas, seus restos mortais foram levados para Pávia, no norte da Itália, e foram sepultados na Basílica de San Pietro in Ciel d’Oro. Aí, no século XIV, foi-lhes construído um esplendoroso mausoléu.


    Santo Agostinho, rogai por nós!